Artigos marcados com ‘Caravaggio’

LIVRO EM SALA DE AULA: Caravaggio, por Roberto Longhi

Caravaggio, por Roberto Longhi

Michelangelo Merisi nasceu em 1573, no burgo de Caravaggio, atual Itália. Sua vida lembra um clichê do artista plástico inconformado e problemático: aprendiz precoce (começou aos 11 anos de idade), passou por momentos de extrema pobreza no inicio de carreira, vendeu obras a preços irrisórios, bebia mais do que deveria, cometeu homicídio, e chegou até mesmo a ser preso. O livro Caravaggio, de Roberto Longhi mesmo sem ignorar estes temas, procura fugir destes aspectos “românticos” da vida de Caravaggio, focando apenas no que realmente importa: a sua arte, sua relação com outros artistas e com o seu período histórico.
Para exemplificar esta forma de compreender um artista, Longhi procura explicar a preferência de temas recorrentes na obra de Caravaggio (mitologia grega e histórias bíblicas), observando que não era uma escolha do artista, mas uma “reserva iconográfica” obrigatória da época. Como afirma: “Difícil esquecer que, naquela época, quase não se pintava nada além de temas impostos, por encomenda, e que esta era apanágio exclusivo de comitentes eclesiásticos ou de nobres colecionadores razoavelmente cultos em fábulas antigas”. Logo, quadros como Medusa ou Narciso devem ser compreendidos não pela vontade do autor, mas pelo período histórico que foram produzidos.
Entretanto, Longhi não tira a autonomia intelectual do artista plástico. Ele crê na interação entre o homem e o seu tempo. Como testemunho da autonomia pictórica de Caravaggio, Longhi observa o gosto do artista a temas do cotidiano (como homens jogando carta) e a algo que era considerado uma novidade em sua época: a natureza morta e o uso de pessoas humildes como modelos. É esse diálogo entre o homem e o seu tempo que torna a obra de Longhi tão interessante. Ele não parte de extremos para compreender Caravaggio: nem o período histórico determina a obra, nem o homem é perfeitamente autônomo para retratar o que bem entende. É uma análise muito pertinente para o historiador e para o professor que quer trabalhar com arte e filosofia/história.